Escritor Brasileiro Paulo Coelho e sua carta para Lula – Fatos – história

O ex-presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, agradeceu ao autor internacionalmente aclamado Paulo Coelho por seu apoio durante a prisão na sede do Policia Federal em Curitiba no Paraná.

“Não aceite participar da sinistra farsa dos Promotores da Lava”, disse Coelho na sexta-feira, quando se juntou a milhões de brasileiros que exigem liberdade para o líder preso.

“Espere um pouco mais – e saia como inocente”, disse o autor brasileiro de O Alquimista, um livro que diz aos leitores para seguirem o que seu coração deseja.

Lula respondeu ao encorajamento de Coelho no Twitter. “Não aceitarei favores daqueles que deixaram o país refém de mentiras. Não me aflijo nem troco a minha dignidade”, disse ele. “A verdade vencerá. E é isso que lhes tira o sono.”

Ele também escreveu uma carta aberta emocional segunda-feira ao povo brasileiro.

“Todo Promotor de lavagem de Carros deve realmente pedir desculpas ao povo brasileiro, aos milhões de desempregados, e à minha família, pelos danos que fizeram à democracia, à justiça e ao país”, disse ele.

Os promotores do Caso Da Lavagem de carros pediram que Lula pudesse sair da prisão para prisão domiciliar por causa de seu bom comportamento.

Mas Lula rejeitou a oferta dizendo que não deixaria os promotores usarem sua sentença como moeda de troca e descartou a ideia de ser movido a menos que sua “inocência” seja “declarada.”

Em agosto, os advogados de Lula disseram que novas mensagens privadas entre os promotores provaram que ele era “vítima de uma conspiração.”

Eles também disseram que levariam o caso” politicamente motivado ” para o Comitê de Direitos Humanos da ONU em uma tentativa de anular a sentença de prisão de Lula e lançar uma investigação sobre o papel dos funcionários públicos envolvidos em conversas vazadas.

O líder icônico do Partido dos trabalhadores tem cumprido uma pena de 12 anos desde 2018 sobre acusações de corrupção em que executivos da companhia petrolífera Petrobras estatal são acusados de aceitar subornos para adjudicar contratos de construção.

Lula, que governou o Brasil de 2003 a 2010, foi marcado para enfrentar o atual presidente Jair Bolsonaro em uma eleição no ano passado, mas foi bloqueado pelo então juiz Sergio Moro, que é agora o Super-Ministro da Justiça no governo de Bolsonaro.

Lula estava liderando as pesquisas de opinião na corrida para a eleição, de acordo com relatos da mídia local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
20 × 17 =